Em 2006, a ONG Ação Fome Zero realizou em 582 cidades brasileiras um levantamento sobre a alimentação escolar, que traz alguns resultados interessantes sobre como são preparadas as refeições para os alunos.

UM RETRATO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

Forma de gestão

Dos 582 municípios, 499 possuem gestão centralizada, 47 possuem gestão escolarizada, 24 municípios possuem gestão terceirizada e 36 possuem mais de um tipo de gestão.

Preparo e distribuição das refeições

523 municípios preparam a alimentação escolar na escola, 37 possuem cozinha central e 22 preparam alimentação na cozinha central e também na escola.

Custo médio da alimentação escolar

377 municípios apresentaram o custo médio da alimentação escolar entre R$ 0,17 a R$ 0,29. Já os municípios com alimentação terceirizada o custo médio foi de R$ 1,00.

Nutricionista no município

471 possuem nutricionista e 111 não possuem.

Referência: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/profunc/12_pol_aliment_escol.pdf

Conforme demonstram os números, os custos para alimentar os alunos não são altos em comparação com o que vemos em restaurantes comerciais. Mas para além dos custos, é fundamental a presença de um nutricionista que possa preparar as refeições de acordo com as necessidades dos alunos, construindo hábitos saudáveis.

Por falar em hábitos saudáveis, nossos costumes na cozinha vêm muito do encontro das tradições culinárias de nossos antepassados portugueses, africanos e indígenas. Particularmente a culinária de Portugal é muito saborosa, com forte influência mediterrânea, e que faz uso de muitos temperos, azeite, peixes, ovos, carne de porco, caldos e sopas. Que tal, então, conhecer uma receita tipicamente portuguesa com certeza!? Transcrevemos a seguir uma receita típica da gastronomia das regiões de Trás-os-Montes e do Alto Douro, usando os termos originais no português de Portugal.

E agora, você aceita o desafio de preparar a carne de porco estufada com castanhas para a sua família e seus amigos?

Hum... a culinária portuguesa abre o apetite! Dá vontade de comer mais do que precisamos, não é mesmo?

De acordo com a FAO, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, são necessárias pelo menos 1.900 Kcal/dia para que uma pessoa esteja bem alimentada, sem levar em consideração a qualidade dos alimentos ingeridos.

Por isso mesmo, para verificar se os portugueses estão se alimentando corretamente, uma pesquisa realizada em 2006 com 2.415 portugueses estimou uma ingestão energética média de 2.190 Kcal/dia por pessoa.

Carne de Porco Estufada com Castanhas

Preparo:

Coloca-se a carne num tacho com as cebolas cortadas em rodelas finas, os dentes de alho esmagados, a banha, a salsa, o louro, e tempera-se com sal, pimenta e noz-moscada. Leva-se a estufar com o lume moderado, agitando o tacho de vez em quando. Entretanto, cozem-se as castanhas golpeadas em água temperada com sal. Descascam-se e juntam-se à carne estufada no último momento. Corta-se a carne em fatias e acompanha-se com as castanhas

Essa receita é para 4 pessoas. Se fôssemos fazer para 8 pessoas, bastaria duplicarmos a quantidade dos ingredientes. E se quiséssemos fazer para 6 pessoas? Bastaria aumentarmos a quantidade de ingredientes em 50%, já que 6 pessoas = 4 pessoas + 50%.
Ingredientes para 4 pessoas Ingredientes para 6 pessoas

O consumo dos homens, de 2.367 Kcal/dia, foi significativamente superior ao das mulheres, de 2.079 Kcal/dia. Os dados observados estão resumidos a seguir, divididos por faixa etária.

Clique na faixa etária da tabela e veja o gráfico comparativo entre homens e mulheres
Indivíduos Kcal/dia
Total 2389 2189,6
18-39 anos 478 2274,1
40-49 anos 537 2267,4
50-64 anos 789 2196,5
> 65 anos 585 2040,0

Os portugueses estão se alimentando bem. Precisam apenas ter cuidado para não engordar, com tantas gostosuras à mesa. Para se alimentar bem, não basta consumir apenas a quantidade energética mínima recomendada pela FAO, mas também utilizar alimentos frescos, variados e que proporcionem uma alimentação balanceada e saudável.